O mindfulness veio para ficar

Afinal que conceito é este de Mindfulness?

 

 

Para mim é uma novidade, mas os interessados na matéria da meditação e do relaxamento, muito provavelmente já não estranham este nome. E é basicamente uma técnica milenar de meditação que treina o cérebro, amplifica a sua concentração e reduz o stress.

 

Para Vasco Gaspar, autor do livro Aqui e Agora, esta tecnica é o estado consciente do que se passa à nossa volta, das emoções, do nosso corpo. “Se a minha cabeça está no passado ou no futuro, estou a perder a vida”, diz Vasco Gaspar. E, “Não vale a pena mergulhar nos sonhos e esquecermo-nos de viver.”

Investigadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, criaram um programa de 8 semanas, onde os pacientes treinavam a prática da meditação uma vez por semana, durante duas horas.

Em paralelo, efectuaram também exercícios de concentração do dia a dia, com a intenção de promover a vivência do presente avaliando a tendência de criar expectativas e fazer projeções futuras.

 

 

O certo é que dois meses depois, os resultados foram determinantes. Com os pacientes que sofriam dores crónicas, stress quotidiano, insónias, ansiedade, a relatarem diminuição significativa destes sintomas.

Por outro lado, nos testes foram efectuadas também análises de sangue dos pacientes. Verificando-se diminuição dos níveis de cortisol, que está aumentado com elevados níveis de stress, promovendo a este nivel a inflamação e a acumulação de gordura abdominal.

No cérebro, o mindfulness tem influência no córtex pré-frontal, ligado ao controlo do pensamento e raciocínio, e também no hipotálamo que produz as hormonas que regulam os níveis de stress.

A diferença das técnicas de meditação comum é que o mindfulness pode ser aplicado no dia a dia, em qualquer local. Por exemplo…

 

• Antes de se levantar e quando vai dormir, faça uma série pausada e profunda de respirações. Durante cerca de cinco minutos, foque a concentração no corpo e na entrada e saída de ar.

• No meio do dia, pare dez minutos para beber um chá. Respire fundo e sinta o aroma da bebida, sem pensar nas tarefas futuras.

• Enquanto espera o elevador, aproveite para respirar fundo, olhar num ponto fixo e perceber o corpo, dos pés à cabeça.

• Deixe mais vezes de lado o telemóvel, a internet e as redes socias. Bem sei que no tempo da informação ao segundo, deixar o telemóvel por instantes é um exercício difícil… Mas determinante para o bem estar geral.

 

Pequenos hábitos que podem parecer estranhos à partida fazem a diferença. A Mindfulness pode ser acompanhada por instrutores especializados e aplicada na educação com técnicas adaptadas à faixa etária e às rotinas quotidianas.

Curiosos?! Leiam mais sobre o assunto.

 

Academia Mindfulness

 

 

Partilhar:
Iva Lamarão

Iva Lamarão

Deixar uma resposta