Nutrição na quarentena

O isolamento que nos mantem afastados do ritmo social há mais de um de um mês está a fazer-nos diferentes. O dia a dia é planeado no perímetro da casa e veio impor novas regras à existência, em tempos de pandemia.

O tema da alimentação parece-me muito pertinente nesta altura. Sobretudo quando precisamos manter-nos saudáveis, com as defesas reforçadas e reeducados quanto aos alimentos e refeições que podemos incluir nas rotinas tão importantes destes dias.

 

 

O doutor Pedro Queiroz, médico Nutricionista nas clinicas de Nutrição do Porto e de Lisboa, aceitou o convite para um direto e respondeu a muitas das dúvidas que lhe fui apresentando.

Tudo poderia ser mais fácil se existissem alimentos que pudessem combater o vírus. O tal super alimento capaz de impedir o avanço do covid-19 resolveria muitos dos nossos problemas. Mas na realidade, a única forma de combater o vírus é todos adotarmos os cuidados de higiene e de distanciamento social.

Pedro Queiroz desmitifica esta questão acrescentando que ‘ não existe nenhum alimento ou regra alimentar que por si só impeça o avanço do vírus. Mas não quer dizer que pessoas com sistema imunitário mais reforçado não apresentem maiores capacidades de combate e resistência às consequências do vírus. Beber mais líquidos, reforçar o consumo de alimentos ricos em vitamina C como a laranja, tangerinas, kiwi, ter hábitos de sono e de descanso regulares, praticar exercício fisico, são alguns hábitos que todos podemos e devemos adotar ´.

Devemos privilegiar sobretudo uma alimentação variada, tendo a roda dos alimentos como orientação. ‘ As boas regras da roda dos alimentos é um óptimo ponto de partida para identificarmos porções e tipos de alimentos a incluir. Há depois que ajustar e distribuí-los ao longo do dia de forma a se tornarem práticos e nutritivos. Fruta como os maçãs, citrinos, ananás e tantos outros; legumes salteados, cozidos em vapor, puré de legumes; alguns hidratos mais complexos como os presentes nos massas (experimente as do quinos, grão ou lentilhas), arroz basmati e vaporizado; proteína mesmo as de origem vegetal como o grão, lentilhas, feijão; gorduras saudáveis como as presentes nos peixes gordos como a cavala e sardinha, nozes e outros frutos secos ‘ refere ´Pedro Queiroz.

Há ainda os alimentos ditos ‘anti-inflamatórios’ que podemos incluir na alimentação. Como ‘o Gengibre, a curcuma, a couve-flor, os orégãos, os peixes gordos e tantos outros a incluir. Reduzir os enchidos, fumados, carnes vermelhas, trigo por serem alimentos mais inflamatórios poderá fazer algum sentido’ . Mas o médico refere ainda que nada como a ajuda de um nutricionista para equilibrar todos estes temas a cada caso.

E para quem pretende perder peso e mantém uma dieta mais restritiva, será uma boa altura para o fazer?

Dada a situação atual desta pandemia Pedro Queiroz sugere deixarmos os planos mais agressivos para as fases onde a situação de saúde esteja acautelada. Nunca devemos colocar a nossa saúde em risco e daí sugere nesta etapa que se espera curta se opte por otimizar a alimentação e escolher alimentos mais saudáveis: troque por exemplo o consumo de sal por especiarias e ervas aromáticas. Deixe os planos mais drásticos para fases onde a saúde publica esteja mais tranquila.

Os tempos pedem que nos adaptemos. E até as consulta de aconselhamento nutricional podem ser feitas online, mesmo que diferentes das presenciais. E serão realmente eficazes?

‘ O on-line tem funcionado super bem. Ainda estes dias tive casos de pessoas que perderam mais de 9Kg, o que corresponde a quase 2 garrafões. É mesmo muito e impactante na auto-estima, saúde e vitalidade de cada pessoa. Estamos também a preparar o regresso ao ativo nas nossas Clínicas de Nutrição do Porto e de Lisboa onde conjuntamente com a equipa transformamos vidas com resultados deveras impactantes’ finaliza Pedro .

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Partilhar:
Iva Lamarão

Iva Lamarão

Deixe uma resposta