Comer devagar emagrece mesmo

Um estudo realizado por uma investigadora portuguesa, mostra que a velocidade com que ingerimos os alimentos, influência mesmo o nosso peso corporal!

 

tumblr_l53m8wqKfj1qa7642o1_500_large

 

O estudo premiado de Júlia Galhardo, durou 1 ano e teve por base 500 jovens obesos acompanhados pelo Hospital Pediátrico de Bristol, Inglaterra.

Este grupo foi dividido em dois grupos. A um deles foi dada uma balança computarizada onde se colocavam os pratos com os alimentos do almoço e do jantar, medindo a velocidade a que estes ingeriam os alimentos. Sendo que, sempre que o ritmo de ingestão aumentava, o computador avisava para comerem devagar. Ao segundo grupo ( grupo controlo ), foi apenas fornecido aconselhamento dietético e físico.

 

tumblr_lzgpr3KY921qcmo4po1_500

 

Passados 12 meses, comprovaram que o índice de massa corporal ( IMC ) do grupo ligado ao computador, tinha sido significativamente inferior ao do grupo controlo.

É do senso comum, que comer devagar faz com que nos sintamos saciados mais depressa. Mas há, uma componente hormonal determinante em todo o processo.

Há uma comunicação entre o aparelho digestivo e o cérebro, capaz de promover a libertação de hormonas que levam à sensação de saciedade. Como a grelina, segregada no estômago, que induz a sensação de fome e o peptìdeo tirosina-tirosina ( PYY), segregado no intestino, que promove a saciedade.

 

tumblr_n607f20gyx1r7sbm4o1_500

 

De acordo com Júlia Galhardo, quando as crianças e adolescentes comiam de forma lenta, as hormonas que regulam a fome e saciedade, e que tinham ficado totalmente alteradas pelos maus hábitos alimentares, ficaram novamente regulados, regularizando a comunicação entre o sistema digestivo e o cérebro.

 

 

Referência

Galhardo J., Hunt L.P., Lightman SL., Salin MA., Bergh C.,Soderslen P., Shield J. Effects of Retraining eating speed on fasting and post prandial plasma ghrelin and PYY in obese children and adolescents. Central – Ensaios clínicos controlados ID: CN-01003668

 

Partilhar:
Iva Lamarão

Iva Lamarão

Deixar uma resposta