Batatas fritas para o jantar

A forma como olhamos para as batatas fritas estaria prestes a ser alterada ao lermos as ultimas novidades dos estudos que afirmam que as batatas fritas que tanto apreciamos podem deixar de ser vistas como as más da fita se alterarmos o processo de fritura.

A conclusão parte de um estudo da Universidade de Granada, Espanha, onde foram confecionadas batatas, tomates, beringelas e abóboras de quatro formas diferentes — fritas, salteadas e cozidas em água e numa mistura de água e azeite simples. Da investigação, publicada na revista científica “Food Chemistry”, em 2015, os responsáveis destacaram alguns aspetos, entre os quais o de que “a capacidade antioxidante dos alimentos aumentou quando preparados apenas no azeite”. E essa é precisamente a ideia que ficámos do senso-comum, fritar as batatas em azeite tornava-as mais saudável e reduzia a culpa no momento da sua preparação.

Sobretudo porque a pratica comum, em casa e em grande parte dos restaurantes, é que se recorra a óleo, utilizado por vezes mais do que uma vez, para o processo de fritura. O que aumenta a sua toxicidade. Para além do aumento do consumo de sal a que está associado.

Quando preparadas em azeite virgem extra,  em condições muito especiais, no final da fritura permite reter alguns compostos fenólicos que se perdem na cozedura normal, o que poderá ter algumas vantagens. E tornar fazer-nos optar por fritar em azeite quando queremos matar a vontade de comer umas batatas fritas ao jantar.

Existem vários tipos de fenóis, compostos químicos antioxidantes que combatem o envelhecimento celular e de onde vem outra das alegações do estudo — a de que a maior quantidade de consumo de fenóis nos vegetais fritos, por oposição aos cozidos, ajudaria a prevenir doenças como cancro, diabetes e outras patologias degenerativas.

Contudo, continua a ser incontestável, de acordo com os nutricionistas, a preferência da batata cozida da dieta mediterrânica à frita mesmo que em azeite virgem extra já que o ganho “é ínfimo”, e seria necessário comer mais batata frita para ter um benefício substancial relativamente ao acréscimo energético que este consumo acarretaria.  

Partilhar:
Iva Lamarão

Iva Lamarão

Deixe uma resposta