As cores e os sabores

Pesquisas indicam que a nossa percepção dos sabores não está apenas relacionada com o olfato ou com o palato. A visão e a informação visual que segue até ao cérebro é determinante para definir o sabor dos alimentos.

tumblr_m4flkjlHW31ruvh2oo1_1280

As cores mais fortes e mais brilhantes são associadas por nós, mesmo que de forma inconsciente, a algo doce, saboroso. Se estamos acostumados a experienciar o consumo de, por exemplo, morango vermelho, brilhante e doce, quando vemos um morango com as mesmas caracteristicas, o nosso cérebro vai ´assumir ´que é doce e quando o provamos pode mesmo parecer mais doce do que realmente é. (1)

 

Fruit-Bowl-1024x773

 

Quando consumimos um alimento sem olhar a cor desse alimento, muitas vezes não é fácil associar o sabor. As zonas do cortex visual estão suprimidas como se o cérebro dissesse ´os olhos não creditam nisso ‘ e não fica óbvio à partida definir o sabor.

O cérebro organiza e sintetiza a informação que provém dos diferentes sentidos. Estabelecendo-se um ‘ input ‘ de sinais das estruturas sensoriais periféricas, até ao cérebro, até se dar a percepção do sabor do alimento. (3)

Isto explica o porquê das empresas alimentares usarem essa informação ( as cores apelativas e brilhantes ), para divulgar os seus produtos e motivar os consumidores.

Faça você mesmo a experiência. Quando receber amigos em casa para jantar, o café será mais doce ou parecerá mais doce se for servido numa chávena azul ( por exemplo ) do que se for servido numa chávena branca. (2)

Qual destas macãs lhe parece mais doce ou mais apelativa?

 

Winter-fruits-for-Kids-Apple1

small-red-apples

 

(1) DuBose, C.N., Cardello, A.V., & Maller, O. Effects of colorants and flavorants on identification, perceived flavor intensity, and hedonic quality of fruit flavored beverages and cake. Journal of Food Science 45, 1393-1399 (1980)

(2)Van Doorn, G., Wuillemin, D., & Spence, C. Does the colour of the mug influence the taste of the coffee? Flavour 3 (2014).

(3)Samuelsen, C.L., Gardner, M.P.H., & Fontanini, A. Effects of cue-triggered expectation on cortical processing of taste. Neuron 74, 410-422 (2012).

Partilhar:
Iva Lamarão

Iva Lamarão

Deixar uma resposta